Grupo de Trabalho de Animação apresenta propostas para o segmento em reunião do CGFSA na Ancine

O grupo foi criado com a finalidade de dar destaque a temas relacionados à animação e melhorar a representatividade das empresas produtoras independentes associadas à BRAVI. No último dia 14, este GT fez sua primeira incursão institucional na reunião deliberativa do Comitê Gestor do FSA. O primeiro trabalho do grupo, formado por Aline Belli (Belli Estudio), Andres Lieban (2D Lab), Candida Liberato (Liberato Produções), Felipe Tavares (Copa Studio), Kiko Mistrorigo (TV Pinguim), Marcio Shima (Luva), Paolo Conti (Animaking), Paulo Munhoz (Technokena) e Rodrigo Olaio (Chatrone), reuniu as principais demandas do mercado e as condensou numa apresentação para a reunião, disponível na área restrita aos associados.

Informações como a de que em 2016 apenas 4% da produção total brasileira para TV foi representada por animações, mas a exibição dessa produção representou 8% do horário nobre demonstrou que há demanda por animação em horário nobre ainda não atendida.

Outro dado relevante apresentado pelo Grupo na reunião foi de que apenas uma animação brasileira foi lançada no cinema em 2016 num total de 142 filmes, destacando a necessidade de se equilibrar o fomento aos diferentes gêneros e formatos para que a animação brasileira possa crescer em presença, colocando cotas mínimas para projetos de animação em editais por exemplo. Outro ponto discutido foram mudanças que favorecessem a flexibilização da pré-licença e a melhoria das regras que permitam a internacionalização dos projetos.

Para Rodrigo Olaio, que fez a apresentação do GT da BRAVI “O foco aqui foi mostrar a enorme distância entre o que se produz, o que se fomenta, e o que se entrega de retorno nos projetos de animação. Lá fora o Brasil já tem despontado como um dos polos importantes de produção, haja visto que neste ano o Brasil será o país homenageado em Annecy, e o FSA precisa seguir esse caminho para equilibrar um pouco as coisas.”

Para Mauro Garcia, presidente executivo da BRAVI: “o objetivo da participação do Grupo de Trabalho de Animação da BRAVI na reunião do comitê gestor do Fundo Setorial do Audiovisual foi alcançado, que era de apontar os diferenciais do segmento e dos projetos de animação, que merecem uma outra forma de análise nas linhas do Fundo com a perspectiva de alavancar a animação brasileira num cenário global.”O arquivo da apresentação utilizada durante a reunião e com os principais pontos discutidos está  disponível na área restrita aos  associados.

Categorias: Institucional Notícias.

Notícias relacionadas