Em três painéis, RioContentMarket 2017 aborda coproduções entre canais, produtoras e distribuidoras

O êxito da criação chilena ‘Porto Papel’, veiculada pelo canal Gloob ilustrou o painel ‘Coproduções entre canais’, que recebeu o diretor criativo Álvaro Ceppi (Zumbastico Studios) e Gustavo Castelo Branco, coordenador de Planejamento de Conteúdo do Gloob. Cofinanciada por Pakapaka (canal argentino) e Señal (colombiano), a obra agora é veiculada em toda América Latina, com apoio financeiro, também, da TVN – Televisión Nacional de Chile. A participação da Gloob é de 40%, com recursos próprios da Globosat.

De acordo com Ceppi, sua produtora tinha ideia de produzir em 2D combinado a técnicas de stop motion, mas houve uma fagulha a mais na criação. “Percebemos que existia uma forte tendência em criações do tipo paper toys, dobraduras que se transformam em bonecos, e que as crianças pudessem imprimir e dobrar em suas casas”.

Em seguida, no painel ‘Coproduções entre produtoras’, um dos destaques foi a apresentação de Paola Suárez, que mostrou resultados do projeto da série ‘Relaciones Públicas’, criação entre a Germina Films (de Córdoba, Argentina) e a brasileira Plural Filmes. A ideia é a criação de uma série falada em “portunhol”, ou seja, com trechos em espanhol e português. Para Paola, a percepção é que os públicos estão aceitando cada vez mais esse tipo de conteúdo híbrido. A produtora tem utilizado ferramentas como o Acordo Iberoamericano e outros tratados bilaterais.

A série de apresentações na Sala 3 do RioContentMarket 2017 também abordou as coproduções com distribuidoras, na composição de obras audiovisuais, modelos contratuais e de negócio praticados, entre outros.

Categorias: Eventos Notícias Riocontentmarket.

Notícias relacionadas